Guiando biólogos pela Serra da Canastra e Sacramento MG

Durante os dias 08, 09 e 10 de outubro de 2011 tive o prazer de acompanhar os biólogos Wagner Nogueira, Luciano Faria, Thiago Souza e Fernando Araújo em uma expedição fotográfica e de observação de vida silvestre no entorno e interior do Parque Nacional da Serra da Canastra.

Velhos conhecidos do ambiente virtual, este passeio foi também uma oportunidade de encontrar pessoalmente pessoas com quem trocamos informações frequentemente pela internet. Especialistas em aves, o foco dos biólogos estava em encontrar espécies de difícil observação como Taoniscus nanus, Nothura minor e Micropygia schomburgkii.

O Parque acabou de sofrer uma grande queimada e ainda se recupera com a chegada das primeiras chuvas da estação. Entretanto, a ausência do capim nativo facilita a observação de espécies que usam a vegetação rasteria como esconderijo. Vimos e ouvimos Nothura minor, Taoniscos nanus e Rhynchotus rufescens ocupando o mesmo espaço e vocalizando ao mesmo tempo, caracterizando uma sitação com certeza muito rara! Wagner e Luciano, conseguiram também gravar o canto da arisca saracura-do-campo (Micropygia schomburgkii).

Outro destaque do passeio ficou por conta do aparecimento de um macho de Sporophila hypoxanta, espécie de caboclinho extremanente rara, cuja população parece encontrar-se em declínio pela perda de seu habitat natural.

Foram dias de muita ação, com encontros emocionantes como a águia-chilena (Geranoteus melanoleucos) voando baixo, o tapaculo-de-brasília (Scytalopus novacapitalis) aparecendo a meio metro de distância, o casal de papa-moscas-de-costas-cinzentas (Polystictus superciliaris) cuidando de um ninho e o curiango-do-banhado (Hydropsalis anomala) e a imponente mocho-dos-banhados (Asio flammeus) nos surpreendendo em inesperados encontros noturnos.

Além das aves observamos mamíferos como veado-campeiro (Ozotoceros bezoarticus), jaratataca (Conepatus semistriatus), raposa-do-campo (Pseudalopex vetulus) e até mesmo uma mamãe tamanduá (mymercophaga tridactyla) passeando calmamente com seu filhote nas costas.

Enfim, uma aventura fantástica, recheada de lances emocionantes, como só a Serra da Canastra sabe nos proporcionar.


O papa-moscas-de-costas-cinzentas (Polystictus superciliaris) pode ser observado nas áreas de campo rupestre, com presença de solo pedregoso


O papa-moscas-do-campo (Culicivora caudacuta) anda sempre em grupos, e é preciso estar atento para observá-los, devido ao seu diminuto tamanho

Os andorinhões são muito frequentes nas partes mais altas do parque


Nas primeiras horas do crepúsculo, é possivel encontrar espécies raras como o curiango-do-banhado (Hydropsalis anomala).


Mamãe tamanduá (Mymercophaga tricactyla) leva com carinho sua cria nas costas

Guiando biólogos pela Serra da Canastra e Sacramento MG
Guiando biólogos pela Serra da Canastra e Sacramento MG
Guiando biólogos pela Serra da Canastra e Sacramento MG
Guiando biólogos pela Serra da Canastra e Sacramento MG
Guiando biólogos pela Serra da Canastra e Sacramento MG
Guiando biólogos pela Serra da Canastra e Sacramento MG
Guiando biólogos pela Serra da Canastra e Sacramento MG
Guiando biólogos pela Serra da Canastra e Sacramento MG
Guiando biólogos pela Serra da Canastra e Sacramento MG
Guiando biólogos pela Serra da Canastra e Sacramento MG
Guiando biólogos pela Serra da Canastra e Sacramento MG