Bichos do meu quintal: mico-estrela

Sacramento é uma cidade singular. Apesar de estar inserida numa região que sofre constante pressão agropecuária, principalmente do setor sucroalcoleiro, ainda tem conseguido resistir e manter algumas características de sua formação florestal original.

Mesmo na área urbana, ainda é possivel encontrar espaços verdes que servem de abrigo para várias espécias da fauna e flora do cerrado.

Sacramento é uma das poucas cidades brasileiras a contar com 100% de esgoto tratado, e pode se orgulhar de ter as aguás do caudaloso Ribeirão Borá que corta o perímetro urbando, totalmente livres de poluentes domésticos e industriais.

Como moro às margens do Ribeirão Borá, numa área ainda relativamente preservada, costumo receber visitas inusitadas e as vezes surpreendentes.

Diversas espécies de aves são comuns de se observar no entorno de minha residência, algumas raras como o fura-barreira (hylocryptus rectirostris) e o coleiro-do-brejo (sporophila collaris), em certa ocasião avistei até mesmo um jacuaçu (Penelope obscura) pousado bem em frente a janela do meu quarto.

Quanto aos mamíferos, capivaras, tatus, tamanduás, e até mesmo uma suçuarana (Puma concolor) já foram avistados aqui nas redondezas.

Hoje pela manhã recebemos a visita de um bando de micos-estrela (Callithrix penicillata) que vive na mata ciliar preservada ao longo do Ribeirão Borá.

Eram oito indivíduos entre adultos e filhotes. Vieram se alimentrar dos frutos de uma embaúba que fica bem em frente a minha casa. Observei durante um bom tempo o coportamento social do grupo, que se revezava no cuidado com os indivíduos mais novos e mantinha uma sentinela sempre alerta, emitindo a característica vocalização aguda do ponto mais alto da árvore. Pude fazer boas fotos, das quais compartilho algumas neste post.

Bichos do meu quintal: mico-estrela
Bichos do meu quintal: mico-estrela
Bichos do meu quintal: mico-estrela
Bichos do meu quintal: mico-estrela